Cabeçalho

Há anos ocorrem ricos diálogos sobre Civilização Humana e Filosofia, Teologia, História e Cultura em geral! Tudo que possa interessar a alguém que espera da vida um pouco mais que outra temporada de BBB! Após diversos convites a tornar públicos estes diálogos, está feito! Quem busca uma boa fonte de leitura, por favor, NÃO VISITE este site. O que esperamos, de fato, é a franca participação de todos, pois não se chama “Outros Discursos”.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Amizade existe?


“Pessoas ao redor do mundo sentiram, na tarde desta quinta feira, oscilações na Força!”, talvez esta sentença não tenha qualquer significado para alguns leitores deste Blog ¹, mas faz todo o sentido para um grupo de três amigos que à pouco se reuniu para tomar um chá num Shopping Center na Zona Leste de São Paulo.

Pessoas com passados profundamente interligados, mas que separados pelas atividades da vida cotidiana não se encontravam há muito tempo ². Foi um encontro sem lamentações (“’Caramba’! Há quanto tempo não nos vemos!”) nem cobranças (“A culpa é sua! Nunca tem tempo para os amigos!”), mas apenas preenchido pela fraternidade que só uma amizade autêntica poderia oferecer. Conversamos sobre todo o tipo de assunto: política, educação, histórias em quadrinhos, religiosidade, etc., sem qualquer ordem previamente estabelecida e, embora houvesse horário fixo para partir, não havia pressa.
Este evento simples me deixou pensando sobre os aspectos da “Amizade”. Você pode ficar anos sem encontrar uma pessoa e mesmo assim, dada a profundidade estabelecida no relacionamento anterior, seguir com diálogos como se o último encontro tivesse ocorrido na semana passada. De igual maneira, é possível conviver diariamente com alguém e mesmo assim não encerrar os assuntos. O que permite este tipo de afinidade? Não é algo simples nem automático, pois também é possível você conviver com um colega de trabalho por anos e nem por isso estabelecer um relacionamento tão profundo. Não é interesseiro, pois você não procura o outro para estabelecer “NetWorks”, cobrar um livro à muito emprestado ou solicitar apoio financeiro, mas tão somente para ter a companhia do outro por alguns momentos. Não é instintivo, pois não envolve a auto-preservação (como numa matilha reunida para proteção mútua), tampouco manutenção da espécie (em nenhum momento o coito foi proposto). O que, afinal, leva um indivíduo a este comportamento tão peculiar? A saber, avizinhar-se de outros dos quais nada receberá, ao não ser a presença deles. Na ausência de respostas imediatas, pergunto-me: “Amizade existe?”. Mesmo carente de definições concretas para o fenômeno, vivemos a Amizade, alimentamo-la, buscamos reforçá-la. Curioso! Talvez o que a torne tão magnífica seja justamente a sua existência, mesmo quando não existem motivos racionais para sua manutenção! Agradeço aos bons amigos que estiveram presentes no “Conselho Jedi” desta tarde e a tantos outros que ali não estiveram, por me permitirem seguir nesta fascinante existência que é a Vida Humana, sem dúvida mais rica porque nela há a Amizade para compartilhá-la.
Que a Força esteja com todos!

Notas:
¹ É preciso alguma familiaridade com a série cinematográfica “Star Wars” para compreender seu significado.
² Ainda com referência ao “Star Wars”, chamamos nossos encontros de “Conselho Jedi”. Enquanto combinávamos o encontro aqui narrado, mencionou-se que um “Conselho Jedi” demorava um Kalpa inteiro para acontecer (não seja preguiçoso. Procure Kalpa/Aeon no Google)

2 comentários:

  1. "Conselho Jedi 2012-1"
    Eu Fui!

    hihi

    \\\///

    PS (não pode faltar): por 2012-1 refiro-me a "1º semestre de 2012"

    ResponderExcluir
  2. PPS: Saudações Jovem Mestre! Obrigado pela visita!
    PPPS: E obrigado pelo PS! rs
    PPPPS: Que a Força esteja com você!

    ResponderExcluir